1280px-Flag of Brazil.svg     Bandeira-dos-Estados-Unidos-2000px  

Jogos na sua empresaJogos de leitores

Jogos de leitores

Surprise_lunch

 Almoço surpresa

 

Um colega de trabalho sugeriu almoçar com um grupo de executivos. O objetivo era criar laços entre líderes e instalar um bom clima.

 

 

No meio do almoço, este mesmo colega falou: “Vamos aproveitar que estamos com você para falar sobre as mudanças que você esta promovendo na empresa”. A partir deste momento, o resto do almoço se resumiu a dúzias de perguntas direcionadas a mim.
O objetivo inicial tinha mudado e  isso criou uma atmosfera tão ruim que alguns colegas me procuraram a tarde para pedir desculpas...


  Gerência SaudosaNostalgic_management

 Tal como no samba com o qual nos brindou Adoniran Barbosa lá no século passado, há na empresa na qual trabalho um comportamento gerencial bem típico deste saudosismo que a música cita. A empresa costuma promover uma rotatividade entre seus gerentes, fazendo com que cada um já tenha sido o "top" em pelo menos duas áreas.

 
A despeito desta ampliação do conhecimento, meus colegas gerentes têm adotado o saudosismo seletivo ao citar seus feitos quando ocupavam as gerências de outras áreas. "No meu tempo não era assim"; "Ah, mas agora a coisa está uma moleza"; "Não, deste jeito não vai dar certo", etc, são frases comuns quando eles se encontram nas reuniões com a Diretoria, numa puxação de brasa para suas antigas sardinhas que chega a ser patriótico.
 

 

Management_Only_by_ObjectivesJá que estou por aqui...

Na minha organização, as pessoas que fazem o trabalho são contratados sob um acordo coletivo. Como os critérios de contratação na melhor das hipóteses não são claras e são obscuras e irregulares na pior delas, uma tática comum para assegurar o emprego é simplesmente  passar, sob qualquer pretexto administrativo, uma propaganda sutil da disponibilidade de cada um. Isso funciona porque de um lado, dá ao contratante um controle, e de outro lado, a administração não tem que fazer o trabalho de descobrir quem está disponível. Também sutilmente reforça um controle total que a administração tem da situação. "É melhor ser bom para nós, porque podemos parar ou começar a te contratar em qualquer momento."

 


 me_engane_que_eu_gosto

Me engane que eu gosto.

 

Este jogo acontece quando as duas partes escolhem não ter conversas difíceis. Para evitar dor e desconforto, a conversa fica mais suave... porém falsa. 

Exemplo: Um colaborador não cumpre suas metas. Seu gerente fala que não pode mantê-lo na empresa, não devido ao seu desempenho ruim, mas devido a um elemento externo (crise econômica, reestruturação da empresa, diminuição de custos...)

Consequências: O chefe não gerenciou bem o seu colaborador, senão ele teria procurado o funcionário para uma conversa séria antes que fosse tarde demais, e então, no final das contas ele se sente desconfortável com a situação que ele mesmo criou.A empresa terá que achar e treinar uma nova pessoa, gastando tempo e dinheiro, e se este jogo começar a se espalhar, o clima na empresa ficará incerto para todos.O colaborador não teve a oportunidade de trabalhar melhor e ele provavelmente nunca saberá o que deveria ter melhorado.

  


 

pato_do_cirio_2O Pato do Círio

Para você entender o jogo político que citarei, é necessário descrever uma situação bem típica daqui de Belém/Pará. Durante as festividades do Círio de Nazaré (outubro), foi muito comum lá pelos anos 70, a utilização de um pato vivo, colocado dentro de uma pequena caixa de madeira, apenas com o pescoço para fora (através de um furo na tampa). Esta caixa ficava no meio de uma área isolada e, de longe, as pessoas tentavam acertar argolas na cabeça do pato e argolar o pescoço do bicho. Para se livrar dos arremessos, o pato ficava balançando a cabeça pra lá e pra cá, mas acabava com o pescoço cheio de argolas.

Numa empresa que conheço, há um jogo que apelidamos de O Pato do Círio, ocorrendo sempre quando os gerentes vão defender algum processo nas reuniões com o Diretor. Sendo ele um profissional que adota a crítica destrutiva, ele encontra algo que não lhe agrade faz a crítica; A partir deste momento, os gerentes começam a arremessar as argolas, apoiando o Diretor como forma de se proteger dele e o coitado do gerente que está defendendo alguma idéia (lá na frente), acaba igual ao pato, se desviando do "fogo amigo" que lhe atiram.

 


 

Correia

Correia!

Este jogo é muito comum na Gerência na qual trabalho e ocorre após uma emergência qualquer, quando meu Gerente me chama e diz:

"Correia, quero você fulltime neste projeto. Pode abandonar tudo que estiver atrapalhando esta sua nova rotina!!!"

Na semana seguinte, já com a memória seletiva de quem joga, ele me cobra as entregas das outras atividades. Aí, eu lhe digo: " Chefe, você me pediu dedicação exclusiva a este projeto." Ele então me diz: " Correia, voce tem que arrumar tempo pra tudo!!"


 

embarque_no_meu_bonde

Embarque no meu bonde

Eu gostaria de te contar sobre um jogo interessante que vejo acontecer na minha empresa, que eu chamaria de embarque no meu bonde.

Recebo, ou outras pessoas recebem perguntas que parecem inofensivas do tipo, "comparado ao volume de vendas qual a porcentagem do custo de frete aéreo no seu mercado?" (essa pergunta é fictícia). Pessoas desavisadas, respondem a pergunta que parece não ter muita importância. Semanas depois chega um projeto completo e com decisões tomadas sobre como devera se feito o nosso processo de quitação de fretes, porque segundo esse projeto, todas as filiais foram consultadas e confirmaram que os valores de frete são realmente muito altos. Assim, você passa a fazer parte de um projeto ao qual não teve conhecimento algum a não ser responder uma simples pergunta que parecia ser irrelevante.

Parece conversa de político que responde aquilo que ele quer e não o que lhe foi perguntado sabe?  Pessoas já mais antigas na empresa sabem desse tipo de pratica e não respondem o que lhes foi perguntado, perguntam primeiro porque querem saber, quem está perguntado? Se isso faz parte de algum projeto, etc.

Na verdade eu não gosto de nenhuma das duas posturas, nem da que te coloca no bonde sem você pedir nem na de quem não responde a não ser que saiba exatamente onde sua resposta será utilizada.

P.


A Cerveja no Clube

A_cerveja_do_clube

Numa empresa que conheço, tomar umas cervejas no clube junto com os chefes é atributo obrigatório para eventuais promoções e, até mesmo, para se manter na posição atual. Ou seja, quem não tem esta disponibilidade para, com frequência, ir ao clube tomar uns drinques, acaba sentindo-se em desvantagem em relação aos colegas.

 

 


 

The_Wolf_that_turns_to_a_LambO lobo que vira cordeiro

Esse é o jogo do gerente que assume duas personalidades, em função de com quem está tratando. De um modo geral, quando trata de um problema com "subordinados", ele é pavio curto e excelente cobrador; Quando está sendo cobrado pelo seu chefe, ele é um cordeirinho, mais manso que um gatinho.
G.


Naming_and_shamingNomear e envergonhar

Às vezes, as pessoas tentam te manipular, mandando informações somente para você, sem transparência para os demais afetados pela questão. O objetivo é influenciá-losem ter os dados ou as posições das outras pessoas. Dependendo da situação, eu envio a resposta a todos os participantes relevantes – para acabar com o jogo e garantir que todo mundo compartilhe da mesma informação. Se você fizer isso algumas vezes, as pessoas vão acabar com essa prática. Transparência é em geral uma boa maneira de evitar os jogos, particularmente em times de liderança. Regularidade e coerência em reportar marcos, produtos/serviços finais, metas a serem atingidas etc dificultam ou evitama mudança de direção, de foco ou de compromisso.
B.

 

Compre online agora!

Submarino

Livraria Cultura

Elsevier

Saraiva

Jogos do Mês

Jogo L4 - Envolvimento de Faz de Conta

Para jogar o Envolvimento de Faz de Conta, o gerente realiza pesquisas de opinião, reúne grupos de discussão ou convoca reuniões de envolvimento para comunicar que "sua opinião conta", mas tudo isso tem como objetivo apenas fazer com que as pessoas se sintam participantes, em vez de fazê-las participar realmente. A verdadeira intenção é apenas evitar queixas e fazer com  que os gerentes possam mostrar para seus chefes que estão "fazendo a coisa certa" - engajando seu pessoal no processo de tomada de decisões. Esse mesmo jogo ocorre quando os líderes envolvem superficialmente os subordinados diretos, solicitando seus pontos de vista sobre a estratégia do departamento, mas confiando apenas na propria opinião pessoal. O cinismo acaba sendo a resposta final dos subordinados a esse tipo de jogo, e perde-se  o respeito pela liderança. E a coisa é talvez ainda pior quando o gerente necessita de que seu pessoal se mostre realmente comprometido e colaborativo em um grande projeto, e encontra dificuldade em assegurar seu envolvimento.

Elogios sobre Jogos Politicos

jacopoUma leitura fantástica não apenas para líderes e executivos seniores, mas também para os profissionais que querem crescer dentro de organizações complexas. Goldstein e Read dissecam a dinâmica interpessoal que afeta o desempenho da empresa, proporcionam uma estrutura conceitual para compreensão dos jogos praticados nas empresas, e oferecem ferramentas práticas para correção desses comportamentos e aumento da eficiência.

Jacopo Bracco vice-presidente executivo, DIRECTV Latin America

Leia mais...
Topo

Todos os direitos reservados © Jogos Politicos    -   Desenvolvido por Infoture